Instrumentos de Ação da Cultura

Plano Nacional de Cultura

O Plano Nacional de Cultura – PNC traduz a complexidade de desejos do campo da cultura e se  configura  como  um  planejamento  de  longo  prazo,  uma  política  pública  de Estado que deve ultrapassar conjunturas e ciclos de governos.

As metas do PNC contemplam as diretrizes, estratégias e ações e buscam atender os seus objetivos e desafios. Elas consistem em ponto de confluência entre as ações culturais demandadas pela sociedade, o compromisso de diferentes instâncias do poder público e a garantia de recursos materiais disponíveis para viabilizá-las.

O alcance dessas metas, até 2020, depende da estruturação do Sistema Nacional de Cultura – SNC.

SNC é um sistema de articulação, gestão, informação e formação de políticas de cultura pactuadas entre a federação, os estados e os municípios, com a participação da sociedade civil.

Para o acesso ao PNC e suas metas acesse o site:

http://pnc.culturadigital.br/wp-content/uploads/2013/12/Como-fazer-um-plano-de-cultura_espelhado.pdf

E para ter acesso aos Programas e ações do MinC acesse o link:

http://www.cultura.gov.br/programas-e-acoes

 

Cartilha de orientação para a apresentação de Emendas Parlamentares – MinC

Esta cartilha tem por objetivo indicar aos proponente orientações para a formulação de emendas de forma que elas possam ser executadas da maneira mais eficaz possível.

Acesse a cartilha no link abaixo:

http://www.camara.gov.br/internet/comissao/index/mista/orca/orcamento/or2014/emendas/Manual_emendas.pdf

 

Carta ao Cidadão – Iphan

O Iphan elaborou a Carta ao Cidadão, um instrumento que objetiva facilitar o acesso e garantir ao cidadão o direito de receber serviços em conformidade com os padrões aqui estabelecidos, tendo como diretrizes a transparência, a interação com a sociedade, a qualidade dos processos e o atendimento ético e efetivo, visando melhorar a Gestão Pública e atender a sociedade.

Acesse a carta no link:

http://www.iphan.gov.br/baixaFcdAnexo.do?id=4635

 

Educação Patrimonial – Iphan

Educação patrimonial abrange processos educativos que visam à construção coletiva do conhecimento pelo diálogo dos agentes sociais e pela participação das comunidades detentoras das referências culturais.

O IPHAN, por meio de suas representações regionais, estimula o diálogo e a construção de políticas de identificação, reconhecimento, proteção e promoção do patrimônio cultural. O projeto Casas do Patrimônio é a principal iniciativa nesse sentido.

A Coordenação de Educação Patrimonial – Ceduc é responsável pelo apoio à rede de agentes educativos dedicados ao patrimônio cultural, nas regionais do IPHAN e na articulação com setores da sociedade civil, estados e municípios.

Para maiores informações acesse o link:

http://portal.iphan.gov.br/portal/baixaFcdAnexo.do?id=4240

 

Esses são alguns dos instrumentos de ação da cultura que visam promover o pleno exercício dos direitos culturais e o acesso às fontes de cultura nacional.

Faça parte você também!

 

Veja o slide de patrimônios no Estado do Paraná

fotos de Elizete Cogo, Daniela Sophiati e do arquivo do Iphan-PR

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Mestres de Capoeira têm o ofício reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade

Elizete Cogo (28)

A roda de capoeira foi considerada como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, neste dia 26 de novembro de 2014, em Paris. Esse título, como afirma a ministra interina da cultura, Ana Cristina Wanzeler, é um “reconhecimento muito importante para a cultura brasileira.”

Uma das mais tradicionais expressões do povo brasileiro, essa manifestação cultural vem conquistando o espaço desejado à sua valorização como referência brasileira.

Comemorando esse reconhecimento a Superintendência do Iphan – PR realizou no dia 03 de dezembro de 2014, na Cinemateca de Curitiba, a entrega de certificados aos Mestres de Capoeira e dos dossiês do Registro da Capoeira como Patrimônio Imaterial do Brasil. Na ocasião houve o lançamento do documentário “Iê: Capoeira em Curitiba” e ao final um coquetel de confraternização.

O evento foi um sucesso.  O auditório da Cinemateca estava superlotado.

A titulação de Patrimônio Cultural do Brasil ao Ofício dos Mestres de Capoeira foi entregues a 40 Mestres do Paraná. Esse reconhecimento do poder público despertou forte emoção entre os homenageados e ocasionou animação na plateia.

Receberam Títulos:

De Curitiba: Mestre Alemão, Mestre Amilton, Mestre Kanelão, Mestre Corró, Mestre Dea , Mestre Kinkas , Mestre Maluco Borracha, Mestre Marlon, Mestre Parafuso, Mestre Pé-de-Vento, Mestre Pernambuco, Mestre Pop Line , Mestre Sapo (representado pelo graduado Taz), Mestre Sergipe e Mestre Silveira; De Londrina: Mestre Dragão, Mestre Guanabara e Mestre índio do Santo Amaro; De Cascavel: Mestre Mestrinho; De Goioerê: Mestre Azulão; De Colorado: Mestre Lito; De Maringá: Mestre Luiz e Mestre Chuppim; De Matinhos: Mestre Bacico, Mestre Wando, Mestre Saruê e Mestre Praia; De Morretes: Mestre Lindomar; De Paranaguá: Mestre Chinho, Mestre Juca, Mestre Zé Carlos e Mestre Walter; De Pontal do Paraná: Mestre King Black; Mestre Luís e Mestre Santa; De São José dos Pinhais: Mestre Kunta; De São Pedro do Iguaçu: Mestre Niquinha; De Toledo: Mestre Carlinhos.

Na continuidade das ações de salvaguarda da Capoeira do Paraná, sob responsabilidade do Iphan-PR, o Comitê Gestor vem direcionando as ações do poder público no sentido de viabilizar as demandas dos detentores, fortalecendo o grupo e colaborando para a continuidade desse bem cultural. Dentre essas necessidades, está a valorização dos Mestres de Capoeira.

A titulação entregue na noite de quarta-feira no auditório da Cinemateca pode se juntar a outras iniciativas governamentais, articuladas em função das reivindicações da sociedade. Segundo o site da Câmara dos Deputados: “a Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou proposta que valoriza, inclusive financeiramente, os mestres responsáveis pela difusão da tradição oral do Brasil”. Ainda de acordo com o site: “O substitutivo ainda será analisado pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Em caso de aprovação nas comissões, o texto poderá seguir diretamente para a análise do Senado.”

Veja a matéria da Câmara dos Deputados no site:

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/EDUCACAO-E-CULTURA/478576-COMISSAO-DE-CULTURA-APROVA-VALORIZACAO-DE-MESTRES-RESPONSAVEIS-POR-DIFUNDIR-TRADICAO-ORAL.html

Esse Projeto de Lei que tramita na Câmara, se aprovado poderá ser uma das formas de valorização dos Mestres de Capoeira.

Veja também a matéria sobre o evento veiculada na Gazete do Povo desse domingo:

http://www.gazetadopovo.com.br/cadernog/conteudo.phtml?id=1518695&tit=Noticia-de-Paris-faz-soar-os-berimbaus

Abaixo, o slide de fotos do evento:

Fotos de Elizete Cogo

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Clubes Sociais Negros do Paraná se mobilizam

Grupo de Trabalho

 

Neste dia 02 ocorreu o encontro dos representantes dos Clubes Sociais Negros, na Biblioteca Pública do Paraná. Esse evento é parte do mapeamento dos Clubes Sociais Negros do Paraná, para o processo de registro dos clubes como Patrimônio Imaterial do Brasil.

Dr. Oscar Nascimento

Dr. Oscar Nascimento

Estiveram presentes no encontro os representantes do Clube Estrela da Manhã de Tibagi: Maria Olímpia Taques do Prado, Presidente e Hilda Maria Ribeiro; do Clube Rio Branco de Guarapuava: Carlos Eduardo Burkhand e Ezaquias Ferreira de Freitas; da Sociedade Operária Beneficente Treze de Maio de Curitiba: Brenda Maria Lucília Oeiras dos Santos e da Associação Recreativa e Operária de Londrina: Oscar do Nascimento e Tito Valle.

No auditório da biblioteca foram apresentados os resultados do mapeamento realizado no segundo semestre de 2014 e a exibição do documentário produzido com de entrevistas realizadas nos clubes de Curitiba e no interior do estado.

Sociedade Operária Beneficente Treze de Maio - Curitiba

Sociedade Operária Beneficente Treze de Maio – Curitiba

Os Participantes formaram um Grupo de Trabalho – GT que definiu as diretrizes, metas e ações a serem adotadas para o plano de salvaguarda dos Clubes Sociais Negros no Paraná. Ao longo desse trabalho houve relatos sobre as dificuldades enfrentadas pelos clubes e discussões sobre as formas de resolvê-las.

Ao final do evento, os participantes fizeram uma visita à Sociedade Operária Beneficente Treze de Maio, no centro de Curitiba, onde encerraram o encontro em um círculo de colaboração, com o interesse comum  de resgatar e fortalecer esses clubes no Estado do Paraná.

Essa primeira etapa é um importante passo no processo de registro dos Clubes Sociais Negros como patrimônio imaterial.

Parabéns aos participantes!

Aguarde postagem de novas fotos do evento!!!

Fotos de Elizete Cogo